Roteiro de 2 dias em Hanói

Foi por inúmeros motivos que eu me apaixonei loucamente pela caótica Hanói, o que fez o Vietnã estar no meu top 3 dos países que mais amei conhecer. A gastronomia é incrível, com alimentos frescos, temperos marcantes, um dos melhores cafés do mundo, pães e doces de herança da colonização francesa, o tradicional e maravilhoso Phở bò, sopa típica dos cafés da manhã, e os rolinhos vietnamitas; as pessoas tem uma beleza indescritível com seus traços delicados e cabelos negros brilhantes; seu povo tem uma garra inquestionável tendo superado sua história marcada por guerras.

A capital Hanói é por si só uma experiência sensorial intensa com seus cheiros de comida, esgoto, perfume, café e rato; barulhos ensurdecedores de buzinas e vendedores ambulantes; movimento insano de pessoas, motos e bicicletas, tornando um simples atravessar de rua uma experiência emocionante; poluição visual marcada por emaranhados de fios elétricos, placas de comércio, e grande aglomeração de pessoas por todo lado; e também tem Halong Bay, aaaaahh Halong Bay!

Tivemos um pouco menos que 2 dias inteiros para explorar a capital vietnamita, mas o ideal seria ter tido mais tempo. Como o país é relativamente fechado para o turismo, não é comum encontrar ocidentais pelo Vietnã, e por esse motivo fomos alvo de muita curiosidade. As pessoas nos encaravam sem nenhum pudor, ficavam admirados principalmente com a nossa estatura e com a barba do Tiago. Em diversas ocasiões fomos abordados com pessoas pedindo para tirarem fotos conosco, o que de início causou muita estranheza mas depois já estávamos nos divertindo com isso! Então vou compartilhar meu roteiro de 2 dias em Hanói e espero que ajude na elaboração do seu!

Fine Arts Museum

O Museu de Belas Artes de Hanói é uma verdadeira pérola no meio de todo o caos da cidade. É o maior museu do país, e abre todos os dias da semana, sorte a nossa que só tínhamos a segunda feira pra visitá-lo, dia em que os museus costumam fechar.

São 28 salas de exposição com obras de arte organizadas em ordem cronológica, desde a antiguidade até os tempos atuais. Esse formato permite que tenhamos uma visão geral de toda a história do Vietnã, como a influência das diferentes religiões, a colonização francesa, os impactos da guerra do Vietnã (que por lá é chamada Guerra Americana) e como o povo se reinventou no pós guerra.

É simplesmente brilhante. As obras que retratam a guerra são impactantes, algumas nos embrulham o estômago, outras enchem nossos olhos de lágrimas, e outras nos tiram sorrisos de esperança. Vale muito a pena a visita a este fantástico museu.

Templo da Literatura – Văn Miếu

Construído no ano de 1070, este templo confucionista abrigou a primeira universidade do Vietnã por mais de 700 anos. Restam ainda placas com nomes dos alunos no pátio do templo!

Hoje o local é uma atração turística, com templos religiosos em homenagem ao filósofo chinês Confúcio, o que é muito interessante de observar essa mistura de religiões que ocorre no país. Além disso, os jardins e lagos fazem do local um oásis de calmaria em meio as buzinas da barulhenta (já disse caótica?) Hanói.

Prisão Hỏa Lò

Prisão construída pelos franceses em 1896 para abrigar prisioneiros políticos durante a colonização do Vietnã pela França, e posteriormente utilizada pelos vietnamitas para prender soldados americanos na guerra entre o Vietnã e os EUA. Foi apelidada sarcasticamente pelos prisioneiros americanos como Hanói Hilton em alusão à rede de hotéis, por ter abrigado prisioneiros ilustres.

Fachada da prisão Hoa Lo em Hanói.

A visita é pesada, e o clima é muito sombrio até mesmo para mim, que sou legista e estou acostumada com a tragédia no meu dia a dia no trabalho.

Como os prisioneiros eram mantidos em suas celas, imobilizados pelos pés.

Mas estando no Vietnã, é impossível ignorar a história do país, e portanto conhecer a prisão Hoa Lo é um dos programas necessários. Passamos por corredores com celas coletivas, solitárias e salas de interrogatório. Há também exposição de armas, objetos pessoais dos prisioneiros, instrumentos de tortura e até uma guilhotina.

Ao final da visita há um pequeno templo onde podemos acender um incenso e fazer uma oração.

Templo ao final da visita à prisão Hoa Lo.

Lago Hoàn Kiếm 

Localizado na região central de Hanói, o lago Hoàn Kiếm é um ótimo lugar pra caminhar e observar o cotidiano dos locais. A calçada é larga e o local arborizado. Na época da nossa visita estava especialmente decorado com flores coloridas por todos os lados devido às festas de final de ano.

Vista noturna do lago Hoan Kiem.
Decoração com flores para o ano novo 2017.

Atravessando a ponte vermelha Huc (Cầu Thê Húc) chegamos no templo Ngoc Son, que me pareceu um templo confucionista, talvez com uns elementos taoístas, mas não entendo muito bem. O templo é construído sobre uma ilhota no lago, e guarda uma atmosfera de paz.

Ricamente decorado com bonsais e pinturas nas paredes, um templo muito bonito e fotogênico. Ainda no lago Hoàn Kiếm já uma outra ilhota com a torre Thap Rùa (torre da tartaruga) que não tem acesso para visitação.

Torre Thap Rua no lago Hoam Kiem.

Old Quarter

É no centro histórico de Hanói que está concentrado o furdunço. São centenas de bares, restaurantes, lojas de artesanato, de café, vendedores ambulantes, feirantes, comida de rua e tudo mais que você puder imaginar, em meio a milhares de banquinhos nas calçadas onde se aglomeram os jovens batendo papo e tomando a cerveja mais barata do mundo.

Happy Hour no Old Quarter em Hanói.

A rua do happy hour é a rua Tạ Hiện. Nas ruas Hàng Ngang e Hàng Đào funcionam um mercado noturno. Entramos pelo lado mais sinistro com certeza, e vimos comércio de animais exóticos para alimentação, como ratos, tartarugas, cobras e sapos.

Venda de animais exóticos vivos no mercado noturno de Hanói.

Não tivemos coragem de provar a comida de rua, tamanha a falta de higiene que presenciamos no Old Quarter, e acabamos por jantar no restaurante Madame Hien onde tivemos a melhor experiência gastronômica de toda a nossa viagem pelo sudeste asiático.

Recomendo fortemente. Ainda no Old Quarter, vale a pena reparar no Ô Quan Chưởng, portão leste da antiga cidade imperial de Thang Long.

Ô Quan Chưởng, portão leste da antiga cidade imperial de Thang Long.

Mausoléu de Hồ Chí Minh

É um grande monumento para veneração do líder vietnamita Ho Chi Minh, cujo cadáver encontra-se mumificado e exposto em um caixão de vidro no interior do mausoléu.

Na época de nossa visita, em dezembro de 2016, o mausoléu estava fechado para visitação em virtude de obras de restauro no corpo de Ho Chi Minh, e por isso só visitamos a fachada, o que já está de bom tamanho pela importância histórica do local. A caminhada no entorno também é bastante agradável.

Museu da História Militar e Cidade Imperial de Thang Long

Este museu traz uma coleção de peças militares que fizeram parte da história do Vietnã, como aviões, canhões, armamentos. Como quase todos os museus do mundo, este fecha nas segundas feiras, e como este era nosso único dia disponível no horário de funcionamento, nós apenas fotografamos pelo lado externo. Em frente há uma estátua de Lênin. Logo ao lado do museu está a Cidade Imperial de Thang Long, que também estava fechada para visitação.

Um comentário em “Roteiro de 2 dias em Hanói

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: