O lado B de Bangkok

Que tal fugir do óbvio e explorar a frenética Bangkok além dos pontos turísticos must go? Durante nossa passagem em dezembro de 2016 fizemos alguns passeios interessantes e menos turísticos, que vou compartilhar para que ajude no seu roteiro, ou que ao menos sirva de curiosidade!

Museu Erawan

O Museu Erawan traz uma coleção particular de antiguidades e obras de arte, com objetos e elementos arquitetônicos que remetem ao hinduísmo. Na parte externa podemos caminhar pelo belíssimo jardim repleto de esculturas, e contemplar a mais excêntrica delas, um gigante elefante de três cabeças em bronze, bem no topo do museu.

Na entrada tem uma representação do Rio Ganges, sagrado para os hindus, onde podemos fazer uma prece e deixar uma flor de lótus.

No interior do museu, os 3 andares representam o universo no hinduísmo – submundo, terra e céu. Uma maravilhosa escadria em forma de dragão conecta os 3 andares.

Não vou me atrever a me aprofundar no assunto, mesmo porque me considero uma iletrada nesse sentido, mas lá no museu tem placas explicativas bem detalhadas. As imagens falam por si, o lugar é mágico e vale a pena o deslocamento!

Templo hindu Sri Maha Mariamman

É o templo hinduísta mais antigo e mais importante da Tailândia, construído em 1879 e situado no bairro Silom, onde estávamos hospedados. A fachada traz centenas de esculturas multicoloridas de diferentes deuses e deusas.

No interior, vários santuários dedicados a diferentes divindades. Não é permitido fotografar o interior. Muitos imigrantes indianos frequentavam o templo no momento da nossa visita, experiência incrível.

Mercado flutuante Tailing Chan

Gostaria muito de visitar um mercado flutuante em Bangkok, e uma pesquisa inicial me indicava o nome Damnoen Saduak, porém pesquisando mais a fundo, há diversos relatos deste grande mercado ter perdido sua autenticidade, e em vez de trazer o tradicional comércio de alimentos, vender na verdade bugigangas e souvenires chineses, ou seja, um verdadeiro passeio pega turista. Decidida a visitar um tradicional e verdadeiro mercado flutuante, arriscamos ir ao Tailing Chan, e que achado!

Um tradicionalíssimo mercado flutuante, com comércio de alimentos de pequenos produtores locais, música tradicional ao vivo, venda de artesanato legítimo. Uma pena que chegamos bem no final, estavam quase fechando tudo, então tenho poucas fotos, já que preferi curtir minha refeição e essa experiência autêntica maravilhosa.

Flower Market – Pak Khlong Talat

O nome é auto explicativo, um mercado de flores que fica aberto 24 horas por dia, 7 dias na semana. Fomos a noite e estava funcionando a todo vapor.

O aroma hipnotizante de flores no ar e o visual colorido contrastam com o barulho constante e o chão molhado e sujo, proporcionando uma experiência sensorial quase psicodélica. Tem flores de centenas de espécies a preços muito módicos, vendidas por unidade, em forma de buquês, vasos, arranjos, e também muitos arranjos prontos para serem usados como oferendas para Buda nos templos.

Mercado Chatuchak

Fiquei fascinada pelo Mercado Chatuchak assistindo a uma reportagem na TV, se não me engano com o Olivier Anquier, onde ele mostrava a grandiosidade desse mercado. É simplesmente o maior mercado de rua da Tailândia, e um dos maiores do mundo. Para chegar, basta pegar o trem até a estação Chatuchak e atravessar o lindo Parque Chatuchak.

Funciona todos os finais de semana, e conta com cerca de 15 mil barracas. O mercado é setorizado de acordo com o produto vendido, incensos, souvenires, esculturas, tapeçaria, roupas, louça, comida. Fiquei tão enlouquecida com o artesanato e a comida, que saí comprando de um tudo e esqueci de fotografar. Por isso vale a pena dar uma olhada no Instagram do Mercado Chatuchak, de onde tirei algumas fotos para ilustrar o post.

Para quem gosta de artesanato, comida de rua e mercados em geral, não pode deixar de conhecer o Chatuchak em uma visita a Bangkok. Ah, e pechinchem o preço de tudo, dá para comprar qualquer coisa pela metade do valor anunciado!

Khlong Toei Market

Seduzida pela ideia de visitar o maior mercado de alimentos frescos de Bangkok, e iludida pela informação de que este funcionava 24 horas, partimos em direção ao Khlong Toei por volta das sete da noite. Foi uma experiência quase que antropológica, digna de destaque no Perrengue Chique. De fato o mercado funciona 24h, porém a noite somente um ou outro feirantes estavam presentes, e mesmo assim estavam limpando a barraca, trocando mercadoria, fazendo atividades de manutenção. Alguns poucos vendiam restos de frutas que ninguém comprou durante o dia todo, outros faziam caldos com carcaças de animais já cheirando a decomposição. Se eu pegasse a câmera para fotografar, tropeçava em um rato, do tanto que eram populosos por lá. Resumindo, não recomendo a visita noturna de jeito nenhum kkkkkk. O que salvou foi essa parada que fizemos no caminho da ida, em um restaurante fino e elegante, para tomar um sopão tailandês de noodles com legumes e carnes não identificadas que paguei 1 real e estava dos deuses, porque sou dessas.

A quem interessar conhecer o mercado, por favor vá durante o dia kkkkk, tenho certeza que será um passeio muito interessante!

Bangkok é de uma riqueza cultural tão grande, com milhares de atrações para explorar, que eu voltaria mais cem vezes sem nunca repetir um passeio. Você conhece outros lugares alternativos na vibrante capital da Tailândia? Deixe um comentário que quero colocar na minha lista!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: